O Conta Gotas e o Oceano – Relatos de um Novo Pai!

30 de janeiro de 2016 , In: Impressões, Relatos , With: 4 Comments
0

Tudo em paz na sacola do canguru. Neolito vai bem e já sabe o que quer da vida (peitos) e tem engordado direitinho.  Um mês e cinco dias e ainda estamos em modo marsupial: a maior parte do tempo ele ainda fica no colo.

Nessa altura ele até que tem dormido com uma certa regularidade. Já tem uma semana que tá rolando a rotina de quando é por volta das 9 da noite a gente já deu banho, a casa está toda à meia luz, a gente fica na sala tomando um fresco, ele dá uma boa mamada, vem pro meu peito pra arrotar e por lá fica. Marina vai dormir e quando sinto que ele já tá dormindo pesado transfiro pro sofá (com um nível de cuidado tipo missão impossível) e ele tem ficado por umas 3 horas direto. Aí acorda pra peidar, cagar e fazer barulhinhos de neném que quer mais peito.

Nessas 3 a 4 horas que ele tá dormindo, se estou muito cansado aí durmo, senão fico fazendo coisas que deveriam ser mais produtivas mas acabam sendo mais contemplativas. Se julgo que não foi tempo suficiente pra pequena dormir, que é normalmente quando ele acorda antes de ter dormido por umas 3 horas, aí dou uma mamadeira de leite do peito que guardamos. Se não tiver, dou um pouco do artificial. Já de volta no meu peito, ele arrota, se ajeita, faz barulhinhos de nenem que tá entrando no sono e dorme denovo. Normalmente tem dormido uns dois blocos de 3h por noite, com sorte três blocos de 3h. E nessa dá pra ter esses blocos de sono pra gente também.

Estou mais cansado e ocupado do que nunca, mas tudo bem.

Tento fazer com que a pequena tenha o maior turno de sono que ela conseguir mas as vezes os próprios peitos dela a acordam parecendo acidente ecológico de barragem estourando. Meu sono definitivamente mudou, mas o interessante é que antes eu me sentia muito apegado a 8h de sono e achava que seria impossível viver sem elas. Hoje meu apego é com valores muito menores e qualquer 4h de sono já é uma boa de uma dormida. Por enquanto até temos conseguido mais mas já temos a plena noção de que uma coisa que funcionou hoje ou por alguns dias, pode simplesmente parar de funcionar e a rotina muda.

 

12522997_1550158261977203_238783668354935948_n

Tenho usado uma analogia constante pra descrever o processo emocional dizendo que é um oceano de cansaço e coisas para fazer e um conta gota de amor. Só que quando você descansa aí esvazia o oceano pra encher denovo mas o conta nunca esvazia, só acumula. E é por essas gotinhas de amor aí que:

A gente enche
e esvazia
o oceano
todo dia

(Poetizei!) Nesse comecinho ele ainda é um bichinho que faz barulhos, come, caga, olha coisas aleatoriamente e dá uns esporádicos (muito esporádicos) sorrisos. Mas é isso aí. Nesse um mês e cinco dias já desvendamos alguns jeitinhos dele, alguns tipos de choro, algumas posições que ele gosta de ficar. “O tigre na árvore” é uma das favoritas dele, quando fica deitado no meu braço com a barriga pra baixo enquanto caminhamos pela vizinhança. Até eu queria ter uma árvore dessa que me leva pra passar.

Apesar de ainda olhar aleatoriamente pros lugares já dá pra ver que seus olhinhos seguem algumas coisas. Aos poucos ele vai entendendo algumas coisas. Sinto que ele já reconhece a imagem de marina, principalmente uma área alguns centímetros abaixo do queijo dela. Essa imagem aí tem até cheiro!

Ele tem os olhos azuis escuros, com um tom meio cinza ou as vezes cinza escuro com um tom meio azulado. É totalmente derretedor de corações. As multidões todas em uníssono fazem “awnnnnnnnnn”. Minhas penas de coruja nasceram também há mais ou menos um mês.

Surgiu, do meio das estantes em meu estúdio, um ítem mágico que é a Gaita Encantadora de Neolitos. Começo a tocar a gaita e ele sossega. As vezes até dorme. Outra coisa boa é que quando ele tiver uns cinco anos eu já vou estar fazendo turnê mundial na gaita de tanto que eu tive que melhorar pra não ter que ouvir as mesmas poucas músicas que eu sei agora.

Bem, é isso. Foi só um recorte deste último mês mas dá pra ter uma idéia. Outra hora conto mais. Ele tá na minha frente aqui, dormindo no sofá. Daqui a pouco começa a fazer barulhinhos denovo 🙂

O Novo Pai
Alexandre FreitasXandolino

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM
11 de agosto de 2015

Gigantossauro

Leitura, Para Filhos
Leia o artigo
4 de agosto de 2015

Diário de um Banana

Leitura, Para Filhos
Leia o artigo
9 de janeiro de 2015

Saudades doí!

Leitura, Para Filhos
Leia o artigo
    • kali
    • 30 de janeiro de 2016
    Responder

    Então Xande… Entre o esvaziar e o encher se constrói sutilmente esse sentimento indescritível de cuidar de uma pessoinha, esquecer um pouco de si mesmo nas prioridades e se doar. Tudo vira contemplação… E acontecem aventuras a cada momento. Ele cresce e se desenvolve, evolui e vcs também. É lindo. ❤

    • Maria Célia Maia
    • 30 de janeiro de 2016
    Responder

    Encantada com o relato de seu sentimento em ser Pai de primeira viagem ! Uma verdadeira Poesia! Parabéns pelo baby!

    • Camila Pimentel
    • 30 de janeiro de 2016
    Responder

    Que depoimento lindo… Xandolino sempre me surpreende, e agora mais que nunca. Eu que também sou nova no mundo da maternidade me diverti e me emocionei com esse relato. Bia, também sou sua fã. Beijos e beijosss, Cam.

  1. Responder

    Encantador esse olhar de Pai!! Encantador teu cuidado com a Marina! Encantador perceber tanto amor!

ESCREVA UM COMENTÁRIO

 

Nascida em Itabuna, signo de Peixes. Formada em Relações Públicas, mas Educadora de construção e coração. Amo minha família e minha ocupação favorita é SER MÃE. Amo os livros! Sonho em ter uma Livraria ou uma ONG para animais abandonados. Cheia de ideias, criatividade não me falta, sou exagerada, falo muito. Faço meditação para conversar com Deus!

 

Continue Lendo

@cirandacontada

Anuncie!