Infância é coisa séria

23 de novembro de 2015 , In: Experiências, Relatos , With: No Comments
0

Um dia desses eu estava vagando pela internet quando me deparei com uma matéria de um blog de biologia do qual sou grande fã. A matéria falava a respeito do caso de uma menina que, aos nove anos de idade, foi diagnosticada como psicopata. Sim, é isso mesmo que você leu: nove anos de idade e psicopata.

A menina em questão era Elizabeth Thomas e sua história não poderia ser mais triste. Quando ela tinha um ano de idade sua mãe faleceu durante o parto de seu irmão. As crianças então, passaram a ficar sob a guarda do pai biológico que passou os próximos meses abusando sexualmente da menina.

Mais tarde, Elizabeth e seu irmão foram adotados, mas ela passou a apresentar um comportamento inapropriado e assustador, molestando, agredindo e tentando matar sua família. Seu caso chamou a atenção da mídia e foi feito até mesmo um documentário sobre ele chamado “Child of Rage – A Ira de um Anjo”.

Depois de um tempo, Elizabeth foi diagnosticada com, na verdade, o que seria o “Transtorno do Reapego Afetivo”, doença mental que, diferentemente da psicopatia, poderia ser tratada. Após anos de terapia e muitos antidepressivos, Elizabeth hoje é enfermeira e trabalha junto de sua mãe ajudando crianças com problemas mentais.

Eu já conhecia sua história, mas naquele dia me vi refletindo mais profundamente sobre o assunto. Fui tomada de um grande pesar, uma tristeza genuína e quando percebi estava chorando. Houve uma frase em especial que ficou martelando na minha cabeça: “Infância é coisa séria”.

Se você está se perguntando por que hoje resolvi trazer um tema tão pesado, a resposta é simples: porque gostaria que você refletisse sobre o quão crucial é a fase da infância. Sobre como é sua responsabilidade como pai e mãe entender que as experiências vividas pelo seu filho nessa fase trarão consequências para ele na vida adulta. Consequências positivas? Consequências negativas? Cabe a você dar ao seu filho as melhores chances que ele tiver.

 Eu chorei aquele dia porque percebi que muitas pessoas não enxergam seu filho durante a infância como um verdadeiro, lindo e cheio de potencial diamante bruto a ser lapidado. Chorei porque isso é real. Isso existe de verdade bem aqui, nesse mundo real em que vivemos. Chorei porque não levar isso a sério traz consequências reais também, para a vida de um ser humano indefeso, e isso é triste demais.

 Faça o melhor que puder para não ser uma mãe ou pai desatento. Encare a infância como uma maravilhosa terra fértil, que vai gerar os frutos que VOCÊ plantar hoje. Não menospreze o poder que essa fase exerce sobre a vida de um indivíduo. Invista na saúde mental, emocional e inteligências do seu filho HOJE. Faça o melhor que puder para levar a sério essa fase tão preciosa que é a infância e o potencial que ela tem de tornar seu filho um adulto mais feliz no futuro

Sem Comentáros... Por enquanto...

ESCREVA UM COMENTÁRIO

 

Nascida em Itabuna, signo de Peixes. Formada em Relações Públicas, mas Educadora de construção e coração. Amo minha família e minha ocupação favorita é SER MÃE. Amo os livros! Sonho em ter uma Livraria ou uma ONG para animais abandonados. Cheia de ideias, criatividade não me falta, sou exagerada, falo muito. Faço meditação para conversar com Deus!

 

Continue Lendo

@cirandacontada

Anuncie!