Como falar sobre dinheiro com as crianças?

9 de outubro de 2015 , In: Bem Estar, Educação , With: No Comments
0

197124_ext_arquivo

Falar de dinheiro com as crianças nem sempre é fácil. Especialistas em educação já entraram em consenso e acreditam que o aprendizado sobre o valor do dinheiro deve começar cedo. Já que questões como trabalho e salário não fazem parte da rotina deles, o valor da moeda se torna algo intangível. Respostas imediatas como “mas é só pegar dinheiro no banco” ou “paga no cartão, mãe”, aparecem porque as crianças não sabem de onde vem o dinheiro e o funcionamento do sistema econômico. Para que eles se tornem adultos com uma vida financeira saudável, é melhor começar a falar sobre educação financeira desde cedo. Patrícia Campos, Superintendente de Educação Corporativa da Mongeral Aegon, dá 10 dicas sobre educação financeira infantil.

10 dicas de Educação Financeira Infantil:

 1 – 1, 2, 3… Se a criança já sabe contar, é hora de começar a falar de educação financeira.

O melhor momento para introduzir o tema é no momento que elas começam a contar. Mostre algumas moedas e ensine o valor de cada uma. Faça pilhas, agrupando e somando o dinheiro.

 2 – Sai do computador e vai estudar menino! Dar mesada não é uma forma de cobrar por boas notas.

A partir dos sete anos, a criança já entende o que é uma mesada e pode começar a gerenciar quantias de dinheiro. Mas não é recomendável associar a mesada ao estudo. Ela não deve ser um prêmio por boas notas, estudar é responsabilidade da criança e ela deve entender isto.

 3 – O jogo dos quatro porquinhos. Ensine seu filho a poupar e como gastar melhor o dinheiro que tem.  

Você deve ensinar seu filho o que é reserva financeira para que ele alcance objetivos de curto, médio e longo prazo. Como?  Adesive quatro porquinhos de cerâmica com as palavras: investimento, doação, poupança e gastos. Gastos são objetivos de curto prazo. O que ele quer no momento, como, por exemplo, um lanche na escola. Poupança é objetivo de médio prazo. Algo que ele quer realizar em seis meses, como a compra de um brinquedo. Já a tarja ‘investimentos’ está relacionada ao longo prazo. Uma reserva financeira para a vida dele, como poupar para um carro ou até para a sua aposentadoria. O último porquinho é o da doação. É importante que ele reflita sobre dar algo em troca sobre o que recebe.

 4 – Você em primeiro lugar! Explique que assim que ganhar o dinheiro a criança deve separá-lo de acordo com os objetivos traçados por ela.

Uma das melhores dicas de educação financeira tanto para adultos como para crianças é que se pague primeiro. Isso quer dizer: separe do seu orçamento a parcela destinada ao que você deseja guardar.  A reserva financeira deve ser encarada como uma despesa fixa, não como o que sobra do orçamento. Ensine para o seu filho também para que ele possa atingir seus objetivos mais rápido.

 5 – O valor da conquista. Lembre seu filho que algumas vezes ele vai ter que esperar e juntar dinheiro para comprar o que deseja.

Nem sempre o dinheiro que ganhamos no mês é suficiente para realizar a compra de algo que desejamos. As crianças devem entender também que juntar dinheiro é uma forma de conseguir o que ela quer, mas para isto é necessário mais tempo.  

6 – Tudo que passa na TV ele pede. Esclareça a diferença entre precisar e querer.

Existem alguns produtos que são necessidades básicas como os de alimentação, limpeza e vestuário básico. Estas coisas são o que ele precisa. Já a propaganda infantil desperta na criança o desejo de ter e não a necessidade. Esclareça para ele esta diferença.

 7 – Não é dinheiro de plástico infinito. Quando usar o cartão de crédito, explique para a criança como ele funciona.

Explique o conceito de crédito e alerte sobre os perigos do cartão de crédito. Não é só passar e não pagar depois. Existem os juros. Você precisa se programar para que o pagamento do cartão ocupe uma fatia do seu orçamento, não ele todo.  

8 – Dinheiro não cresce em árvore.  Fale como é o seu trabalho e por que você é pago por ele.

O salário é composto por vários fatores, mas os dois principais são tempo e esforço. Ele significa o valor atribuído ao seu trabalho (esforço) e conhecimento multiplicado pelo tempo trabalhado. Para explicar ao seu filho o que é salário, diga quais são suas atividades diárias e o valor da sua hora trabalhada. Assim ele vai entender que é uma troca e que o dinheiro vem deste resultado.

 9 – A escolha é sua. Inclua a criança em pequenas decisões financeiras no supermercado, como qual fruta comprar.

Educação financeira é baseada em escolhas. Muitas vezes para conseguirmos a quantia que desejamos temos que abrir mão de alguma coisa. Ele pode aprender isso em um supermercado. Separe um valor e diga que ele tem que escolher um produto com a quantia que tem na mão.

10 – Alcance seus sonhos. Ensine que o dinheiro é só uma ferramenta para chegar aonde se quer.

É sempre bom lembrar que dinheiro não é tudo. É uma ferramenta que pode proporcionar um bem ou uma experiência. Mas existem valores mais importantes como viver momentos em família, educação, ética e cidadania. 

Fonte: Claudia Fernandes (In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação)

Sem Comentáros... Por enquanto...

ESCREVA UM COMENTÁRIO

 

Nascida em Itabuna, signo de Peixes. Formada em Relações Públicas, mas Educadora de construção e coração. Amo minha família e minha ocupação favorita é SER MÃE. Amo os livros! Sonho em ter uma Livraria ou uma ONG para animais abandonados. Cheia de ideias, criatividade não me falta, sou exagerada, falo muito. Faço meditação para conversar com Deus!

 

Continue Lendo

@cirandacontada

Anuncie!