Fale menos “nãos” para seus filhos

24 de maio de 2014 , In: Bem Estar, Comportamento, Educação , With: No Comments
0
Fale menos “nãos”
para os seus filhos. Deixe eles se arriscarem mais, pois os desafios constróem
a autoconfiança, qu…alidade tão importante para a difícil missão da vida. Mas
continue falando os “nãos” necessários para educá-los, para mostrar
as regras da boa convivência, para ensiná-los como serem prestativos, gentis e
para garantir-lhes segurança. Fale os poucos nãos com firmeza e doçura, olhando
nos olhos, para ensinar o jeito certo de fazer as coisas.
A função principal dos pais é
dar aos filhos muito amor, ensinar valores e formar seres humanos sensíveis e
capazes de enfrentar os desafios da vida. Tenho convicção disso, acho muito
bonito na escrita, mas na prática, eu, mãe de primeira viagem de gêmeos, sei
como é difícil. Pois todas essas lições moram nos inúmeros atos da rotina, como
a difícil tarefa de fazer seus filhos obedecerem os todos os seus
“nãos” e aceitarem fazer as coisas do seu jeito. Hoje, percebi na
prática que a gente nunca será, para os outros, a mãe que pensa ser. Uma babá
recém iniciada na minha casa me falou que eu falo poucos nãos. Talvez ela tenha
razão. Mas aprendi que eu preciso ser a mãe que os meus filhos precisam que eu
seja. Uma mãe para o Rô e outra para a Rafa. Cada um com as suas necessidades.
Nunca serei a mãe modelo para ninguém. Gosto da relação que tenho com os meus
filhos, embora saiba que, agora perto deles completarem 2 anos, a missão de
educar será mais árdua. Não será fácil, ninguém mentiu pra mim; mas com dois ao
mesmo tempo, de primeira viagem, o desafio se torna ainda maior. Me sinto
feliz, abençoada e posso dizer que me sinto reparada para APRENDER! (Risos)
Isso pra mim já é o suficiente, pois não tenho como saber de algo que eu nunca
vivi e que (por mais que tentem) não se ensina nos livros. Paciência, muito amor
e coração aberto.
Apesar de saber que as
situações de conflito entre o querer deles e o meu poder serão afloradas a
partir de agora, li a respeito que essa educação da primeira infância, até os 3
anos, é definitiva para estabelecer o padrão de comportamento das crianças.
Então é importante a gente se ligar nisso… Ensine os seus filhos a ouvir, a
conversar, pois assim terão mais chance de serem sensatos e compreensivos. Dê
muito amor sempre, acima de qualquer coisa, pois assim serão mais sensíveis e receptivos
ao amor, mais dispostos e sociáveis. Ensine valores, mostre o que é certo e
errado, explique o significado das coisas, pois assim, terão mais chance de se
tornarem seres humanos corretos, honestos, esclarecidos e de boa índole. Ensine
as regras de convivência social, mostre como cumprimentar os outros, como se
portar numa mesa, como respeitar o espaço dos outros, isso fará muita
importância no futuro. Dê oportunidades aos seus filhos, permita que eles
tenham autonomia (ainda que controlada), mostre o quanto eles são capazes de
aprender e executar – sair da zona de conforto faz toda a diferença na
construção da autoconfiança. Se possível, incentive que eles viajem, vá junto
algumas vezes, incentive a leitura, mostre o quanto é importante o conhecimento
e a experiência. Estude com eles, aprenda e ensine. Sobretudo, mostre que tudo
e todos são fonte de aprendizado; não deixe que eles se guiem pela aparência,
as lições da vida dos mais humildes são tão importantes quanto as acadêmicas
dos mais letrados. Desenvolva a sensibilidade dos seus filhos para que eles
percebam a grandiosidade da vida, pois nós pais não podemos cair na vaidade de
querer filhos que apenas obedeçam as nossas ordens, e sim ponderar até que
ponto essas “ordens” contribuem para o crescimento deles.

 

Pai e mãe são autoridades, por
isso mesmo, saiba que mais importante que os seus filhos obedeçam, é que eles
aprendam. Os pequenos “nãos” (aqueles falados por impulso ou para
atender uma expectativa alheia) desobedecidos pelos meus filhos, não me
incomodam (talvez incomodem mais aos outros, incluindo a minha novata baba).
Eles são tão banais que hoje entendo que, para a própria autonomia e
aprendizado deles, deveriam mesmo ser ignorados. Sei que é difícil, mas vou me
policiar para não banalizar os “nãos” e mostrar a tamanha importância
que eles têm nas nossas vidas, pois ensinar a superar a frustração talvez seja
a mais difícil e importante das tarefas desta tão deliciosa jornada de ser mãe.
Sem Comentáros... Por enquanto...

ESCREVA UM COMENTÁRIO

 

Nascida em Itabuna, signo de Peixes. Formada em Relações Públicas, mas Educadora de construção e coração. Amo minha família e minha ocupação favorita é SER MÃE. Amo os livros! Sonho em ter uma Livraria ou uma ONG para animais abandonados. Cheia de ideias, criatividade não me falta, sou exagerada, falo muito. Faço meditação para conversar com Deus!

 

Continue Lendo

@cirandacontada

Anuncie!